A Ideia do que pode ser segurança

A Ideia do que pode ser segurança

A Ideia do que pode ser segurança

A maioria dos usuários só se lembra de consertar seu sistema de segurança eletrônica

Quando ele danifica. Quando isto acontece precisa sair correndo atrás de alguém para recolocar o sistema em funcionamento. Este é um exemplo típico de uma Manutenção corretiva, quer dizer, onde o conserto é feito depois de constatado algum defeito. 
O ideal é que a manutenção seja apenas quando tiver acontecido realmente

Um acidente, isto é, algo não previsível. É a mesma coisa que você usar um carro sem fazer as manutenções e ficar “surpreso” quando um belo dia ele te deixa na mão. Assim como o carro, os equipamentos de segurança eletrônica também precisam de manutenção rotineira, justamente para não ser pego de surpresa e ter que sair correndo para recolocar o sistema em funcionamento. 
Você já deve ter percebido, portanto, que existem diversos tipos de manutenção. Na verdade, existem três tipos de manutenção: preventiva, corretiva e preditiva.

Vejamos em detalhes:

Manutenção Corretiva

Este é o tipo mais comum, infelizmente. O equipamento quebra ou deixa de funcionar de acordo com o esperado, aí então se aciona o profissional de manutenção para “dar um jeito” na situação. O interessante é que, aparentemente, os equipamentos quebram quando mais se precisa deles.

Por isto, o ideal seria que a manutenção corretiva acontecesse raramente, ou seja, deveria ser realmente um acidente. Para tanto, é preciso caprichar na manutenção preventiva.

Manutenção Preventiva

É o procedimento mais barato e garantido, ou seja, corrigir os defeitos antes que se manifestem ou que causem danos maiores. Voltando ao exemplo do carro: não é muito melhor trocar o óleo do motor, a correia dentada e as pastilhas de freio antes que o motor pare ou que o carro se espatife num muro por falta de freio? Pois é, num sistema de segurança eletrônica e em qualquer equipamento – é a mesma coisa. A vantagem de manutenção preventiva é que ela pode ser programada, assim o dono do equipamento não é pego de surpresa. os procedimentos de manutenção preventiva podem evitar a maior parte dos defeitos dos equipamentos diminuindo ao máximo as manutenções corretivas, que são de longe as mais caras e prejudiciais para quem depende do equipamento.

Manutenção Preditiva

É uma variação da manutenção preventiva, onde os componentes são trocados ou verificados antes que apresentem qualquer defeito. Isto é feito com base em estudos que determinam o MTBF, termo inglês que é uma base abreviação de “Maximum Time Between Failures”, ou seja “Tempo Máximo de falhas”. Digamos que os estudos feitos por um fabricante ou empresa especializada indiquem que determinado modelo de disco rígido tem a vida útil estimada em 10.000 horas MTBF. Se ele trabalha 10 horas por dia, isto significa que ele vai durar 1.000 dias ou aproximadamente 3 anos, considerando-se os dias parados. Assim estes HDs devem ser trocados, por medida preditiva, a no máximo cada 3 anos, mesmo que, aparentemente, estejam funcionando bem. Falando em linguagem popular, seria algo assim: – “Olha, este negócio já está pra pifar, é melhor trocar logo…

” os procedimentos que mostraremos a seguir podem se classificar ora como manutenção preventiva, ora como corretiva. O importante mesmo é o técnico de manutenção não se perder. Tem que saber exatamente o que está fazendo e seguir uma metodologia. São muitos detalhes a serem lembrados, por isto é importante ter uma seqüência lógica e bem treinada, ensaiada mesmo, para não esquecer de nada.

 


More than 40 percent of title I schools spent less on personnel per student than non-title have a glimpse at the site I schools serving the same grades in the same district.
DICAS DE SEGURANÇA ELETRÔNICA DA JM TELECOM

DICAS DE SEGURANÇA ELETRÔNICA DA JM TELECOM

DICAS DE SEGURANÇA ELETRÔNICA DA JM TELECOM

Quer proteger a sua casa ou empresa com equipamentos eletrônicos de segurança, mas não sabe exatamente quais soluções são recomendadas e atendem o perfil do local? Conheça mais sobre o assunto e veja dicas que contribuem com a eficiência de um projeto de segurança eletrônica.

O mercado de segurança eletrônica no Brasil cresce e se inova num ritmo acelerado. O setor de monitoramento eletrônico disponibiliza, a cada ano, novos serviços e recursos para melhor atender os que decidem por reforçar a segurança da sua residência, comércio ou empresa com ajuda da tecnologia. Ao optar por investir em um projeto de segurança eletrônica, deve-se, primeiramente, observar quais as reais necessidades e características de cada local e, deste modo, escolher as melhores soluções que ofereçam segurança de um modo prático e eficaz.

Segurança eletrônica – Como iniciar o seu projeto

Para dar início a instalação de um sistema de segurança eletrônica, a primeira medida a ser tomada é a contratação de um técnico ou empresa especializados no setor. As pessoas capacitadas em monitoramento eletrônico podem determinar quais equipamentos são os mais indicados de acordo com as características e necessidades de um imóvel, seja ele uma residência, empresa ou local público. Pesquise opções de prestadores deste serviço e busque referências de empresas para garantir que seu projeto seja feito adequadamente. Considere, ainda, que você irá necessitar de um plano de manutenção para, eventualmente, dar suporte ao seu sistema. Outra opção, é adquirir um sistema de monitoramento Plug & Play, que é mais simples, mas pode ser o ponta pé inicial para a segurança da sua residência ou escritório.

Equipamentos de segurança eletrônica para sua residência

São muitas as soluções existentes em equipamentos de segurança eletrônica para o segmento residencial. O que determina quais devem ser utilizadas é o tamanho do projeto e quais necessidades devem ser atendidas. Conheça, a seguir, alguns dos principais sistemas utilizados para reforçar a segurança da sua casa:

  • Porteiro eletrônico e videoporteiro
  • Centrais de alarmes monitoradas
  • Cercas elétricas
  • Câmeras CFTV
  • Fechadura digitail

Porteiro Eletrônico

O porteiro eletrônico, conhecido também como interfone, é um recurso bastante utilizado em casas e condomínios. Ele permite que os moradores se comuniquem, e, no caso de porteiros eletrônicos com vídeo, visualizem quem está do lado de fora. É uma ótima solução para identificar quem vai entrar em sua casa antes de abrir a fechadura. Conheça

 Centrais de alarmes monitoradas

Ao optar pela instalação de centrais de alarmes, é recomendado contratar o suporte de um serviço de monitoramento 24h. As centrais de alarmes possuem como principal função monitorar os sensores instalados em seu sistema. Desta maneira, caso seja detectado algum evento suspeito, além do aviso sonoro inibidor que o alarme emite, um sinal é enviado a uma central de segurança que dará retorno imediato ao chamado. Existem variados tipos de sensores, como os magnéticos, comumente instalados em portas e janelas que, ao serem violados, emitem sinais para a central. Outro tipo conhecido é o sensor de presença, capaz de detectar a presença de um corpo humano, evitando alarmes falsos, através de tecnologias como infravermelho, micro-ondas e imunidade PET.

A eficiência na utilização de uma central de alarme para sua residência está diretamente ligada à qualidade do suporte de monitoramento que é prestado.

Cercas elétricas

Centrais de cercas elétricas são soluções que podem ser muito efetivas e possuem um custo acessível. Através da emissão de pulsos elétricos, elas protegem o perímetro com choques e comunicam a tentativa de acesso ou violação a uma central.  A escolha do equipamento a ser utilizado é influenciada pelo perímetro do local que será monitorado. Existem soluções com características variadas: possibilidade de ligação com sensores de abertura e infravermelho, saída para monitoramento, habilitação do choque através de controle remoto, e outras, que se adaptam a projetos de pequeno, médio e grande porte. Importante ressaltar que os equipamentos devem seguir as normas de fabricação e instalação da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e as cercas devem ser identificadas. Saiba mais sobre as cercas elétricas da Intelbras.

Câmeras CFTV

Câmeras de monitoramento são amplamente utilizadas em sistemas de segurança e monitoramento em residências, empresas e locais públicos. A alta definição das imagens das câmeras disponíveis atualmente permitem a identificação de pessoas e total controle sobre o local monitorado. Existem soluções em tecnologia IP e HDCVI que se adaptam a projetos de custo, estrutura e tamanhos variados, além de gravadores digitais e softwares e aplicativos que complementam o sistema. Além disso, também existem os modelos compactos, Plug & Play, para quem está começando a pensar na segurança do seu patrimônio: são os kits ou sistemas de monitoramento mais básicos. Conheça os diversos tipos de câmeras que a Intelbras oferece e saiba mais sobre CFTV.

Fechadura Digital

Fechaduras digitais para portas e portões proporcionam ou impedem acesso a locais e ambientes através de senha numérica ou cartão de proximidade RFID. É um recurso interessante que vem ganhando espaço em projetos de monitoramento e segurança devido à alta confiabilidade que oferece. Possui, ainda, a função Não Perturbe, que desabilita a abertura da fechadura pelo lado de fora por tempo determinado, alarme antiarrombamento, entre outras.

Quer proteger a sua casa ou empresa com equipamentos eletrônicos de segurança, mas não sabe exatamente quais soluções são recomendadas e atendem o perfil do local? Conheça mais sobre o assunto e veja dicas que contribuem com a eficiência de um projeto de segurança eletrônica.

O mercado de segurança eletrônica no Brasil cresce e se inova num ritmo acelerado. O setor de monitoramento eletrônico disponibiliza, a cada ano, novos serviços e recursos para melhor atender os que decidem por reforçar a segurança da sua residência, comércio ou empresa com ajuda da tecnologia. Ao optar por investir em um projeto de segurança eletrônica, deve-se, primeiramente, observar quais as reais necessidades e características de cada local e, deste modo, escolher as melhores soluções que ofereçam segurança de um modo prático e eficaz.

Segurança eletrônica – Como iniciar o seu projeto

Para dar início a instalação de um sistema de segurança eletrônica, a primeira medida a ser tomada é a contratação de um técnico ou empresa especializados no setor. As pessoas capacitadas em monitoramento eletrônico podem determinar quais equipamentos são os mais indicados de acordo com as características e necessidades de um imóvel, seja ele uma residência, empresa ou local público. Pesquise opções de prestadores deste serviço e busque referências de empresas para garantir que seu projeto seja feito adequadamente. Considere, ainda, que você irá necessitar de um plano de manutenção para, eventualmente, dar suporte ao seu sistema. Outra opção, é adquirir um sistema de monitoramento Plug & Play, que é mais simples, mas pode ser o ponta pé inicial para a segurança da sua residência ou escritório.

Equipamentos de segurança eletrônica para sua residência

São muitas as soluções existentes em equipamentos de segurança eletrônica para o segmento residencial. O que determina quais devem ser utilizadas é o tamanho do projeto e quais necessidades devem ser atendidas. Conheça, a seguir, alguns dos principais sistemas utilizados para reforçar a segurança da sua casa:

  • Porteiro eletrônico e videoporteiro
  • Centrais de alarmes monitoradas
  • Cercas elétricas
  • Câmeras CFTV
  • Fechadura digitail

Porteiro Eletrônico

O porteiro eletrônico, conhecido também como interfone, é um recurso bastante utilizado em casas e condomínios. Ele permite que os moradores se comuniquem, e, no caso de porteiros eletrônicos com vídeo, visualizem quem está do lado de fora. É uma ótima solução para identificar quem vai entrar em sua casa antes de abrir a fechadura. Conheça

 Centrais de alarmes monitoradas

Ao optar pela instalação de centrais de alarmes, é recomendado contratar o suporte de um serviço de monitoramento 24h. As centrais de alarmes possuem como principal função monitorar os sensores instalados em seu sistema. Desta maneira, caso seja detectado algum evento suspeito, além do aviso sonoro inibidor que o alarme emite, um sinal é enviado a uma central de segurança que dará retorno imediato ao chamado. Existem variados tipos de sensores, como os magnéticos, comumente instalados em portas e janelas que, ao serem violados, emitem sinais para a central. Outro tipo conhecido é o sensor de presença, capaz de detectar a presença de um corpo humano, evitando alarmes falsos, através de tecnologias como infravermelho, micro-ondas e imunidade PET.

A eficiência na utilização de uma central de alarme para sua residência está diretamente ligada à qualidade do suporte de monitoramento que é prestado.

Cercas elétricas

Centrais de cercas elétricas são soluções que podem ser muito efetivas e possuem um custo acessível. Através da emissão de pulsos elétricos, elas protegem o perímetro com choques e comunicam a tentativa de acesso ou violação a uma central.  A escolha do equipamento a ser utilizado é influenciada pelo perímetro do local que será monitorado. Existem soluções com características variadas: possibilidade de ligação com sensores de abertura e infravermelho, saída para monitoramento, habilitação do choque através de controle remoto, e outras, que se adaptam a projetos de pequeno, médio e grande porte. Importante ressaltar que os equipamentos devem seguir as normas de fabricação e instalação da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e as cercas devem ser identificadas. Saiba mais sobre as cercas elétricas da Intelbras.

Câmeras CFTV

Câmeras de monitoramento são amplamente utilizadas em sistemas de segurança e monitoramento em residências, empresas e locais públicos. A alta definição das imagens das câmeras disponíveis atualmente permitem a identificação de pessoas e total controle sobre o local monitorado. Existem soluções em tecnologia IP e HDCVI que se adaptam a projetos de custo, estrutura e tamanhos variados, além de gravadores digitais e softwares e aplicativos que complementam o sistema. Além disso, também existem os modelos compactos, Plug & Play, para quem está começando a pensar na segurança do seu patrimônio: são os kits ou sistemas de monitoramento mais básicos. Conheça os diversos tipos de câmeras que a Intelbras oferece e saiba mais sobre CFTV.

Fechadura Digital

Fechaduras digitais para portas e portões proporcionam ou impedem acesso a locais e ambientes através de senha numérica ou cartão de proximidade RFID. É um recurso interessante que vem ganhando espaço em projetos de monitoramento e segurança devido à alta confiabilidade que oferece. Possui, ainda, a função Não Perturbe, que desabilita a abertura da fechadura pelo lado de fora por tempo determinado, alarme antiarrombamento, entre outras.


Bypassing alternatives only 300 students were enrolled on the first furlough day uncover this at seven ymca branches across the island of oahu, ms.
POR QUE INVESTIR EM SISTEMA DE SEGURANÇA ELETRÔNICA?

POR QUE INVESTIR EM SISTEMA DE SEGURANÇA ELETRÔNICA?

POR QUE INVESTIR EM SISTEMA DE SEGURANÇA ELETRÔNICA?

Os índices de arrombamentos, furtos e assaltos nunca estiveram tão altos. Sazonalmente, os números caem em algumas regiões por força de algum motivo, como um policiamento mais ostensivo, mas eventualmente os gráficos voltam a subir, mantendo o sentimento de insegurança dos cidadãos e fazendo com que eles permaneçam presos em seus próprios lares, muitas vezes sem poder ao menos aproveitar seus momentos de lazer.
As formas de se proteger eficazmente mudaram muito, e uma das que mais tem obtido resultados positivos é o sistema de segurança eletrônica. Conheça alguns motivos para investir em segurança eletrônica!
Principais motivos para você reforçar a segurança
A ousadia e as diferentes técnicas utilizadas por criminosos: diariamente, podemos perceber através de notícias que os criminosos estão se especializando e desenvolvendo sempre novas e mais ousadas formas de praticar delitos contra as pessoas e seus patrimônios. Muros altos, grades, cercas e trancas já não são grandes obstáculos para a maioria dos marginais.
Preservação do seu patrimônio: muitas vezes, as pessoas passam anos trabalhando e economizando para conquistar uma melhor qualidade de vida e grande parte das conquistas materiais podem se perder em apenas uma investida criminosa na residência. Além disso, quebra de vidros e outras ações que danificam o patrimônio geram gastos e também podem ser pontualmente verificadas em alguns tipos de monitoramento eletrônico.
Presença inibidora: os mais ousados criminosos estudam muito bem as residências antes de uma investida com intuito de roubar ou até mesmo seqüestrar. O simples fato de saberem que a residência possui uma forma de monitoramento eficiente pode inibir a presença de bandidos, que muitas vezes acabam desistindo do intento.
Preservação da integridade física dos familiares: sem dúvidas, o maior patrimônio das pessoas são seus familiares. O valor da segurança dos filhos, cônjuges e demais familiares não pode ser mensurado, portanto, investir em monitoramento eletrônico para a residência ajuda a preservar a integridade física dos seus familiares.
Lazer com mais tranqüilidade: poder sair em viagem com a certeza de que sua residência estará bem monitorada, poder chegar de uma festa à noite com um monitor externo aguardando ou ter a imagem da entrada da casa no próprio telefone celular, se for o caso é boas formas de se sentir – e estar – mais seguro.
As casas e suas necessidades
Cada tipo de residência, devido o perfil dos moradores e suas rotinas e hábitos, além do local em que se encontra, apresenta diferentes tipos de necessidades em relação a segurança. Os possíveis riscos podem definir uma solução de segurança mais adequada um lar e seus moradores.
Assim, podemos listar os principais sistemas de monitoramento eletrônico, que são:
Alarmes: o monitoramento por alarme é feito por detectores, que indicam movimentação e forçamento de aberturas, captadas em sensores e tendo por conseqüência o acionamento sonoro. Os dispositivos são ligados em uma central de alarmes que, por sua vez, transmite à central de monitoramento, que em caso de sinistro, poderá contatar o morador por telefone, enviar um monitor ao local ou acionar as autoridades, conforme o fato ocorrido.
CFTV: é o circuito fechado de TV que se utiliza de câmeras, captando imagens gravadas em um HD. Esse sistema transmite imagens para um ou mais monitores, possibilitando, com isso, o acompanhamento de forma remota no local ou pela internet. Tal monitoramento poderá ser feito até mesmo por um canal específico de uma TV na residência.
Imagens: o monitoramento por imagem é o que permite o acompanhamento em tempo real através de câmeras instaladas. Assim, é possível uma equipe estar monitorando e outro indo ao local em caso de sinistro. Ela se difere da CFTV por ter sempre um acompanhamento.
Como você pode ver, são várias as formas de monitoramento eletrônico que podem ser utilizadas em sua residência. Indiferente de qual for a escolhida, certamente o seu lar e a sua família estarão mais protegidos frente à tanta insegurança e medo.

 


While most interviewers you will meet resume-chief.com/ with are quite friendly, some can be a bit stoic and others cold or seemingly indifferent.